Flor-do-Natal


Poinsétia, a flor do Natal

A poinsétia é também conhecida pelos nomes de bico-de-papagaio, rabo-de-arara e papagaio (no Brasil), cardeal, folha-de-sangue, flor-do-natal, ou estrela-do-natal. O seu nome científico é Euphorbia pulcherrima, que significa: a mais bela (pulcherrima) das eufórbias. A cor (branca, rósea ou vermelha) de suas brácteas (folhas modificadas) determina as variações no nome.

Arbusto que, no jardim, pode atingir 3 metros de altura, a poinsétia costuma ser comercializada em vasos, dando a impressão de ser planta de pequeno porte. Suas flores verdadeiras são pequeninas e quase insignificantes. E, o que parece ser as pétalas, na verdade, são as brácteas, folhas que protegem a verdadeira flor, bem no centro da poinsétia.
Devido às suas folhas semelhantes a pétalas de flores vermelhas, é uma planta muito utilizada para fins decorativos, especialmente na época do Natal. Como é uma planta de dia curto, floresce no solstício de Inverno que, no hemisfério norte, coincide com o Natal. No Brasil, para ganhar a coloração avermelhada nas folhas a poinsétia precisa de quase 14 horas de total escuridão. Os floricultores colocam lonas pretas sobre os canteiros para reduzir a luminosidade.

Os floricultores escandinavos e californianos obtiveram variedades de poinsétia mais adaptadas à decoração doméstica, tanto no tamanho como na coloração. Há, assim, poinsétias de cor laranja, verde pálido, marmoreadas, salpicadas, etc.

Planta nativa do Sul do México. Era chamada de "cuetlaxochitl" pelos astecas que extraíam das brácteas tintas usadas na cosmética e no tingimento de tecidos, além de usarem a sua seiva na produção de medicamentos contra a febre. Ainda hoje as poinsétias de brácteas esbranquiçadas são utilizadas para a produção de cremes depilatórios, além do seu cultivo para a formação de cercas de arbustos (sebes).

A seiva leitosa da planta, constituída por um tipo de látex irritante, em contato com a pele e mucosas provoca inflamações, dor e comichão, podendo causar também irritação nos olhos, lacrimejamento, inchaço das pálpebras e dificuldades na visão. A sua ingestão pode causar náuseas, vómitos e diarréia.

As primeiras referências do uso da poinsétia em festas religiosas, situam-se no século XVII. Nessa época, monges franciscanos a utilizavam para decorar uma procissão de Natal, conhecida como "Festa de Santa Pesebre". Por sua cor vermelha e pelo florescimento durante o período das festas natalinas, é chamada na América Central de flor flamejante ou flor da noite santa (Flor de Noche Buena).

O nome poinsétia (poinsettia) deriva do nome de Joel Roberts Poinsett, o primeiro embaixador norte-americano no México, no período de 1825 a 1829. Ele levou exemplares para os Estados Unidos, deu aos amigos e enviou para alguns jardins botânicos. John Bartram, um de seus amigos, doou alguns pés da planta para Robert Buist, dono de um viveiro. Este último, desconhecendo o nome científico Euphorbia pulcherrima dado pelo taxonomista Klotzsch em 1933, decidiu vendê-la com o nome Euphorbia poinsettia. Por ser considerada um dos símbolos do Natal, a poinsétia recebeu, nos Estados Unidos, os nomes de Christmas star (estrela-do-natal) e Christmas flower (flor-do-natal).

Fonte: .www.jardimdeflores.com.br e .pt.wikipedia.org/wiki/Poinsétia


*    *    *    *    *
Blog Lendo & Relendo Infantil

Nenhum comentário: